Carne Vermelha e o Câncer, O Que os Estudos Dizem?

Muitos estudos observacionais mostram que o consumo da carne vermelha pode causar câncer e o terceiro tipo mais diagnosticado no mundo é o de colorretal (geralmente localizado no intestino grosso).

Estes estudos têm um problema: não separam a carne vermelha processada da carne vermelha não processada. Isso acaba gerando resultados e conclusões inconsistentes.

Algumas Meta-análises (Resumos estatísticos de Dois ou mais estudos sobre um mesmo assunto) foram feitas e os pesquisadores investigaram os dados de vários estudos, e viram que grande parte deles concluem que aumento do risco de câncer colorretal pela carne vermelha não processada é muito baixo.

Uma Meta-análise revelou um efeito fraco para os homens e nenhum efeito para as mulheres.

carne vermelhaOutros estudos da Meta-análise (análise de vários estudos como visto acima) mostram que não pode ser a própria carne que contribui para aumentar o risco, mas os compostos prejudiciais que se formam de acordo com o preparo da carne.

Portanto, o método de cozimento pode ser um determinante importante dos efeitos da carne vermelha na saúde.

Doenças Nem Sempre Podem ser Associadas a Carne Vermelha.

A Princípio todos os estudos chamados de observacionais irão Provar que a Carne vermelha “pode fazer mal a saúde”.

Estes tipos de estudos só podem demonstrar correlação de duas variáveis associadas: .

Podem dizer que pessoas que comem carne vermelha estão mais propensas a ter problemas de saúde, mas não pode dizer que tudo está associado a carne vermelha.

Estudos Observacionais São Atormentados por Fatores de Confusão.

Para exemplificar a tese dos estudos observacionais vamos pegar uma informação que é muito falada nos meios de comunicação:

“comer carne vermelha é ruim! Certo?”

A tendência da maioria destas pessoas que comem carne vermelha é ser menos conscientes para com a sua saúde e mais propensos a fumar, beber excessivamente, comer mais açúcar, fazer menos exercícios, etc.

Aí está um grande problema, na maioria das vezes quem é fã de carne vermelha vai ser mais sedentário.  Claro que existem exceções.

Por isso os estudos observacionais perdem um pouco da credibilidade.

Estudos Randomizados Podem Trazer resultados mais Completos.

Esta é outra modalidade de estudo e são os mais corretos para se confiar.

Estudos Randomizados são diferentes dos estudos Observacionais.

Como é Feito Um Estudo Randomizado?

Para fazer um estudo randomizado baseado na carne vermelha teríamos de separar dois grupos de pessoas. 

  • Grupo A com uma dieta rica em carne vermelha
  • Grupo B com uma dieta pobre em carne vermelha.

Entretanto a grande questão é que o câncer é uma doença que se desenvolve no decorrer de anos. 

Para que fosse feito um estudo randomizado, as pessoas teriam que estar dispostas a passar alguns anos sendo estudadas e observadas. Seria muito difícil para realizar e muito caro.

Infelizmente, não temos conhecimento de um estudo deste tipo que examina a carne vermelha desta forma.

Exemplos de Outros Estudos Envolvidos na Alimentação

Estudos Sobre Dietas de Baixa Gordura

Existem outras opções de estudos sobre dietas de baixa gordura, que reduzem a quantidade no consumo da carne vermelha e processada, no intuito de diminuir a gordura saturada.

Este tipo de estudo foi realizado como Iniciativa para a  Saúde da Mulher com mais de 46 mil mulheres.

Estudo Realizado da Seguinte Forma:

Um grupo foi instruído a comer uma dieta de baixa gordura, enquanto o outro grupo continuou a comer a dieta ocidental padrão.

Após um período de 7,5 anos, houve quase nenhuma diferença (apenas 0,4 kg / 1 lb) de peso entre os grupos. Também houve nenhuma diferença na taxa de doença cardíaca ou câncer.

Estudos das Dietas Atkins e Ornish

Há também um estudo randomizado controlado que comparou a dieta de Atkins (rica em carne vermelha) para a dieta Ornish (uma dieta vegetariana de baixo teor de gordura, sem carne vermelha) .

Após um ano de estudo, o grupo de Atkins tinha perdido mais peso. Tiveram maiores melhoras em todos os fatores de risco mais importantes para a doença, embora os efeitos nem sempre fossem estatisticamente significativos.

Estudos das Dietas Low-carb

Há também vários outros estudos que comparam Low-carb (dieta reduzida em carboidratos e rica em carne vermelha) e baixo teor de gordura (pobre em carne vermelha). Nestes estudos, as dietas de baixo carboidrato podem levar a resultados muito melhores de saúde.

Carne Vermelha Cozida em Altas Temperaturas Pode Causar Câncer?

Quando a carne é cozida a uma temperatura elevada, pode formar compostos nocivos.

Algumas delas incluem Aminas Heterocíclicas (AHS), Hidrocarbonetos Aromáticos Policíclicos (HAP) e Produtos Finais de Glicação Avançada (AGEs).

Estas substâncias podem causar câncer em animais.

Se a carne realmente aumenta o risco de câncer (o que ainda está para ser provado), então este pode ser o motivo.

Mas devemos lembrar que isso não se aplica apenas à carne, outros alimentos também podem formar compostos nocivos quando aquecidos excessivamente.

Como Evitar os Compostos Nocivos Cancerígenos no Preparo da Carne?

  • Use métodos de cozimento mais suaves como: estufar e cozinhar em vez de grelhar e fritar.
  • Diminuir o cozimento em altas temperaturas e evitar ao máximo expor sua carne a uma chama.
  • Não comer alimentos carbonizados e / ou defumado. Se a sua carne queimar no preparo, corte os pedaços carbonizados a fim de evitar estes compostos.
  • Marinar a carne no alho, vinho tinto, suco de limão ou azeite, pode reduzir significativamente AQP.
  • Se você cozinhar em fogo alto, vire a carne com frequência para evitar que ela se queime.

Agora infelizmente temos de admitir que a carne frita e grelhada tenha um gosto espetacular, pena que pode nos fazer mal.

carne vermelhaMas se você quiser desfrutar de uma boa carne e receber todos os benefícios sem qualquer das potenciais consequências prejudiciais, use os métodos de cozimento mais suaves e evite a carne queimada.

Afinal  a Carne Vermelha Faz Bem ou Mal?

Quando olhamos para o passado vemos as táticas de intimidação e as manchetes sensacionalistas. Percebemos que existem ensaios clínicos controlados que ligam carne vermelha a doença em humanos.

Existem apenas estudos observacionais, que muitas vezes não se separam corretamente carne vermelha e carne processada.

Eles também dependem de questionários de frequência alimentar e simplesmente não podem dar conta de fatores de confusão complicados como consciência de saúde.

Os estudos de observacionais são feitos para gerar hipóteses, não fazem testes e experimentos.

Eles não podem provar nada de ruim com relação à carne vermelha. Além disso, achamos que é duvidoso porque os seres humanos sempre comeram animais selvagens ao longo de toda a evolução.

Contanto que você escolha a carne vermelha não processada (preferencialmente animais alimentados com capim) e certifique-se de usar métodos de cozimento mais suaves e evitar peças queimadas / carbonizadas. Provavelmente não há nada para se preocupar e essa carne vai te fazer bem.

Na verdade, achamos que a carne vermelha não processada, bem cozida é realmente muito saudável. Ela é altamente nutritiva, carregada com proteínas saudáveis, gorduras saudáveis, vitaminas e minerais, juntamente com vários nutrientes conhecidos por afetar positivamente a função do corpo e do cérebro.

 

 

 

 

Artigos Relacionados:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *