O que é Diabetes Gestacional?

 O que é  Diabetes ?

A Diabetes é uma doença que geralmente aparece quando os níveis de açúcar no sangue (Glicose) encontram-se elevados e isso acontece também na Diabetes Mellitus Gestacional (DMG) ou diabetes gestacional apenas .

Como a glicose age no organismo?

Quando comemos nosso sistema digestivo quebra a maior parte da comida transformando-a em um tipo de açúcar chamado glicose. Ela por sua vez entra na corrente sanguínea e em seguida com a ajuda da insulina (hormônio produzido pelo pâncreas) entra nas células tornando-se o nosso combustível e fonte de energia. diabetes gestacional

 

Quais os Fatores que alteram os níveis de glicose?

  • O pâncreas não produz insulina suficiente
  • As células tem um problema na resposta à insulina (não deixam a insulina agir para a glicose entrar nas células), adquirem resistência à insulina

Com isso o excesso de glicose permanece no sangue em vez de mover-se para dentro das células e ser convertido em energia.

O que acontece na Diabetes Gestacional?

Quando você está grávida ocorrem algumas alterações hormonais e uma delas é apresentada pela placenta que começa a produzir um número elevado de hormônios.

A partir da 24ª semana de gestação esses hormônios aumentam ainda mais, fazendo com que a insulina tenha mais dificuldade de exercer sua função, na qual é responsável em transportar a glicose (açúcar no sangue) para as células.

Para a maioria das mães isto não é um problema, pois quando o corpo precisa de insulina adicional, o pâncreas consegue suprir essa necessidade, mas se ele não consegue aumentar a produção de insulina durante a gravidez o nível de glicose no sangue subirá resultando em diabetes gestacional.

Posso ter Diabetes Gestacional após o parto?

Geralmente com o diabetes gestacional os níveis de açúcar no sangue voltam ao normal cerca de seis semanas após o parto, pois a placenta que estava produzindo os hormônios extras que causaram a resistência à insulina, é retirada no parto.

O seu médico irá verificar os seus níveis de açúcar no sangue depois que seu bebê nascer para certificar- se de que tudo voltou ao normal. Alguns médicos recomendam um teste de tolerância oral à glicose (TOTG) com 6 a 12 semanas após o parto, para verificar se ainda há diabetes.

Deverá ser feito um rastreamento a fim de prevenir o diabetes no futuro. De acordo com várias pesquisas realizadas chegou-se a conclusão de que 60% das mulheres que tiveram diabetes gestacional têm um risco de desenvolver diabetes tipo 2 mais tarde ao longo de suas vidas.

Além disso, as mulheres que têm ou tiveram diabetes gestacional durante a gravidez têm 40 % a 50 % de chance de desenvolver diabetes gestacional na gravidez seguinte.

Quais os Fatores de risco para permanecer com o diabetes após o parto?

  • Obesidade. (O risco é de 50 a 75%, caso você seja obeso e de 25 a 50% se você está com peso normal.)
  • Níveis de glicose (açúcar no sangue) muito altos durante a gravidez (especialmente se você precisava de medicação).
  • Se o diabetes foi diagnosticado como positivo no início de sua gravidez.
  • Os resultados do seu teste de glicose pós-parto foram limítrofes (relativamente alto, mas não alto o suficiente para classificá-lo como um diabético).

Quais os Sintomas do diabetes gestacional?

O diabetes gestacional é geralmente diagnosticado durante exames de rotina. Muitas vezes não causa nenhum sintoma.

No entanto, a glicose alta no sangue (hiperglicemia) pode causar:

  • Sede,
  • Boca seca,
  • Necessidade de urinar com frequência,
    Cansaço, Infecções recorrentes, como a candidíase (infecção por fungos) e,
  • Visão turva.

Como a Diabetes Gestacional pode afetar seu bebê?

A diabetes gestacional aparece no final da gravidez, logo após o corpo do bebê estar completamente formado, por esse motivo ela não consegue causar má-formação congênita conforme ocorre com os bebês cujas mães já estavam com diabetes antes da gestação.

Podemos observar outro fator que pode afetar seu bebê. Conforme acontece na gestação, os hormônios da placenta causam um bloqueio impedindo as células de receber glicose, com isso ela se eleva e o pâncreas da mãe acaba tendo que produzir mais insulina que o normal a fim de acabar com a glicose.

A insulina não consegue passar pela placenta, mas a glicose e outros nutrientes conseguem.  O bebê fica com glicose adicional que veio da mãe recebendo energia sem usar e engordando csda vez mais e obrigando o pâncreas dele a produzir insulina extra.

Além disso, podem aparecer outros problemas como:

  • Macrossomia (bebê obeso) que poderá trazer danos aos ombros dos bebês (quando passar pelo canal vaginal terá dificuldade devida aos ombros largos),
  • Hipoglicemia (glicose ou açúcar no sangue baixo devido a alta produção de insulina pelo pâncreas do bebê),
  • Problemas respiratórios,
  • Risco de obesidade e
  • Quando adultos poderão contrair diabetes tipo 2.

Como e feito o Diagnóstico para o Diabetes Gestacional?

Segundo o manual do Ministério da Saúde Brasileira, ainda não existe um consenso sobre qual método mais eficaz para rastreamento e diagnóstico para o diabetes gestacional.

O seu médico deverá fazer uma anamnese (é uma entrevista que busca relembrar todos os fatos que se relacionam com a doença e à pessoa doente) para facilitar a identificação dos fatores de risco.

  • Idade igual ou superior a 35 anos;
  • Índice de massa corporal (IMC) ≥ 25 kg/m² (sobrepeso e obesidade);
  • Antecedente pessoal de diabetes gestacional;
  • Antecedente pessoal de diabetes Mellitus (parentes de primeiro grau);
  • Macrossomia ou polihidrâmnio em gestação anterior;
  • Óbito fetal sem causa aparente em gestação anterior;
  • Malformação fetal em gestação anterior;
  • Uso de drogas hiperglicemiantes (corticoides, diuréticos tiazídicos);
  • Síndrome dos ovários policísticos;
  • Hipertensão arterial crônica.

Em qualquer momento da gravidez.

  • Ganho excessivo de peso;
  • Suspeita clinica ou ultrassonográfica de crescimento fetal excessivo ou polihidrâmnio.

Todas as gestantes, independentemente de apresentarem algum fator de risco, devem realizar um teste de glicose no inicio da gravidez, antes de 20 semanas ou logo que seja possível.

O rastreamento é considerado positivo nas gestantes que fizeram teste de glicose em jejum cujo valor seja igual a ou superior a 85mg/d (miligramas por decilitro) e/ou na presença de qualquer fator de risco para o diabetes gestacional.

Caso não haja fatores de risco e o teste de glicose em jejum for menor ou igual a 85mg/dl, o resultado do rastreamento será negativo e deve-se repetir um novo teste entre a 24ª e 28ª semana de gestação.

Podemos também confirmar o diagnóstico de diabetes gestacional sem necessidade de Teste de Tolerância Oral a Glicose (TOTG) realizando dois testes de glicose em jejum por dois dias diferentes e o resultado seja maior ou igual a 126mg/dl.

As gestantes com rastreamento positivo, ou seja, com glicemia plasmática (teste de glicose) em jejum maior ou igual a 85mg/dl até 125mg/dl e/ou com qualquer fator de risco devem ser submetidas à confirmação diagnóstica com teste oral de tolerância a glicose (TOTG).

Como e realizado o Teste de Tolerância Oral à Glicose?

Depois de um período de jejum entre 8 a 14 horas a gestante deverá ingerir 75g de glicose Anidra em 250 a 300 ml de água e será realizado o teste de glicose (TOTG 75g 2h).

Após 1h será realizado outro teste e depois de 2h mais um. No final de tudo para que seja determinado diabetes gestacional, dois valores que forem alterados confirmam o diagnóstico. Os valores das glicemias deverão ser maior ou igual a 95, 180 e 155, respectivamente. Caso seja achado um único valor alterado o exame TOTG 75g 2h terá que ser realizado novamente na 34ª semana de gestação. Para facilitar o entendimento veja na tabela abaixo.

Pontos de corte para o teste oral de tolerância a glicose.

Jejum

1h

2h

95mg/dl

180mg/dl

155mg/dl

Dois ou mais valores devem estar acima do normal para a confirmação diagnóstica do diabetes gestacional.

O que acontece com o bebê após o parto?

A glicose do bebê será medida imediatamente após o nascimento. Se o valor for baixo, será dada uma solução de glicose oral ou na veia. Depois ele irá para um berçário de cuidados especiais para observação durante as primeiras horas de vida.

Com o diabetes gestacional, há grande risco de que o recém-nascido possa desenvolver Icterícia que é uma coloração amarelada apresentada pela pele quando a bilirrubina está presente no sangue do bebê.

A bilirrubina é um pigmento que causa icterícia. Ela é liberada quando há um aumento das células vermelhas do sangue e não pode ser processada com rapidez suficiente.

Desaparece rapidamente com o tratamento, que muitas vezes envolve expor o bebê à luz solar indireta ou luzes especiais para ajudá-lo livrar-se do pigmento.

Qual o Tratamento para  o diabetes gestacional?

Uma das principais fases do  tratamento é baseado em manter o controle da sua taxa de glicose usando um medidor.

Grávida com medidor de glicose

Não  esquecendo de procurar um nutricionista para que ele passe uma dieta bem equilibrada de acordo com o seu peso, altura  e nível de atividades.

A  dieta deverá ser bem equilibrada em proteínas, gorduras e hidratos de carbono, também contendo vitaminas , minerais e calorias.

Para manter a glicose estável é muito importante que você não pule as refeições e evite itens açucarados, tais como doces, biscoitos, bolos e refrigerante.

Talvez para uma pessoa que não esteja acostumada a ter uma vida e alimentação regradas, isso pode parecer assustador, mas não é tão difícil quando você pegar o jeito da coisa.

Não pense que você está em uma dieta especial ou restritiva, pois os princípios da dieta do diabético são bons para que todos possam acompanhar. Pense nisso como uma oportunidade de criar hábitos alimentares mais saudáveis ​​para si e para toda a sua família.

Se todos em sua casa comerem os mesmos alimentos como você, além de te ajudarem a não sentir-se sozinho nesta caminhada, também ajudarão a si mesmos, tendo mais qualidade de vida em todas as áreas, pois este novo estilo é muito saudável.

Exercícios

gravida se exercitando

Outro fator que podemos destacar é a pratica de atividade física. Estudos mostram que o exercício moderado também ajuda a melhorar a capacidade do seu corpo no processamento da glicose.

O exercício regular durante a gravidez pode melhorar a sua postura e diminuir alguns desconfortos comuns, como dores nas costas e fadiga. Estar em forma durante a gravidez significa praticar atividade, leve a moderada de exercícios pelo menos três vezes por semana.

Independentemente de diabetes gestacional, toda mulher grávida deve consultar seu médico antes de iniciar uma prática de exercícios. Ele poderá lhe dar orientações de exercícios pessoais, com base em seu histórico médico.

Não podemos esquecer que ao fazer alguma atividade física ou tomar alguma medicação para controlar a glicose, as duas coisas em conjunto poderão causar uma grande queda na taxa de glicose, por isso você deve seguir estas orientações para evitar uma reação glicose baixas no sangue ou podemos chamar também de Hipoglicemia (glicose baixa).

  • Sempre carregue alguma forma de açúcar com você durante o exercício, como balas, doces, biscoitos, etc.
  • Coma uma porção de fruta ou o equivalente a 15 gramas de carboidratos para a maioria das atividades com duração de 30 minutos.
  • Se você se exercita logo após uma refeição, coma um lanche após o exercício.

Quais as Medicações para diabetes Gestacional?

Geralmente os médicos prescrevem a Insulina (injetável), Metformina e Glibenclamida.

Estas medicações serão interrompidas imediatamente após o nascimento do bebê.

download

Devemos tomar muito cuidado, pois quem faz uso de insulina pode ter hipoglicemia que é um nível anormalmente baixo de glicose no sangue.

Saiba os riscos de hipoglicemia e aprenda a reconhecer os sintomas, tais como:

  • Ter fome
  • Tremores
  • Sudorese (excesso de suor)
  • Ansiedade ou irritabilidade
  • Palidez

Se a hipoglicemia não for tratada, pode levar à perda de consciência, pois não haverá glicose suficiente para o cérebro funcionar normalmente.

O tratamento imediato de hipoglicemia é ter um pouco de comida ou bebida açucarada, tais como:

  • Energético;
  • Comprimidos de glicose e
  • Suco de frutas

Poderá ser dada a você uma solução de glicose ou açúcar concentrada (bebida) caso tenha hipoglicemia.

Dicas de alimentação para diabetes gestacional

Não pule as refeiões e se alimente de forma equilibrada. Coma carboidratos de baixo índice glicêmico (IG), para que o seu organismo os absorva lentamente e mantenha a glicose estável entre as refeições.

gravida se alimentando

Escolha massas, arroz e pães integrais, legumes como batata, batata doce, inhame, mingau de aveia e granola natural. Uma alta variedade de alimentos ricos em fibra irá ajudar o seu sistema digestivo e prevenir a constipação (prisão de ventre).

Inclua pelo menos cinco porções por dia de vitaminas, minerais e fibras, mas mantenha uma fruta por vez. Use feijões e lentilhas, feijão manteiga, grão de bico ou lentilhas vermelhas e verdes.

Você não precisa comer uma dieta livre de açúcar. Ele pode ser usado em alimentos e no cozimento, como parte de uma dieta saudável, mas use-o com moderação.

Você pode também ser aconselhado a escolher alimentos (não gordurosos ) proteínas magras , como peixe . Comer duas porções de peixe por semana, uma das quais deve ser peixes gordos , como a sardinha ou cavala.

Conclusão para o diabetes gestacional

Mantenha seu peso baixo, faça escolhas alimentares saudáveis ​​e faça exercícios regularmente para afastar a doença.
Além disso, amamentar o seu bebê pode lhe proporcionar uma grande proteção. Existem pesquisas que sugerem uma associação entre aleitamento materno e aumento da perda de peso pós-parto, bem como uma diminuição do risco de desenvolver diabetes tipo 2 e doença cardiovascular.

Artigos Relacionados:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *